5 maneiras de melhorar a prática da Virtude da Castidade

terça-feira, maio 08, 2018



A castidade é para os amantes. Isso é uma verdade que acredito com todo o meu coração. É uma virtude para todos nós - solteiros, casados, sacerdotes, freiras - que cria condições nas quais podemos fazer o que fomos criados para fazer: conhecer, amar e servir a Deus e uns aos outros.

A castidade  não separa a sexualidade do resto das áreas da nossa vida que nos tornam humanos, mas nos ajuda a organizar nossas vidas de tal maneira que a sexualidade não seja mal utilizada (ver CIC 2337). Isso requer um discernimento para que nossas atitudes não sejam guiadas pelos desejos.

Vivemos, no entanto, numa cultura que não é propícia à castidade, uma cultura que cria condições nas quais acreditamos que podemos e devemos conseguir o que queremos e quando queremos, sem consequências. Vivemos em uma cultura que nos ensina a agir de acordo com todos os anseios, para saciá-los e ao mesmo tempo nos ensina a não termos auto- responsabilidade pelos nossos atos.

Isso significa que em poucas situações em nossas vidas temos o nível de exigência que a prática da castidade exige de nós. O que significa que a castidade, para alguns de nós, é difícil. Mas existem maneiras para melhorar a prática – alguns exercícios que cultivam habilidades que podem ser transferidas para a castidade. Aqui estão cinco deles:

1. Desligue alguma coisa e silencie. 

Sempre que entramos em um carro, a primeira coisa que ligamos depois da ignição é a música. Tente abrir espaço para o silêncio. Fazer isso  fortalece sua capacidade de existir com um desejo, sem saciá-lo. Ao contrário do que a cultura que nos rodeia diz, nossas vidas não terminam quando não agimos de acordo com os impulsos. Não agir de acordo com esse pequeno desejo fará com que seja treinado a superar desejos maiores.

2. Faça a tarefa que você mais odeia. Imediatamente

Qual a tarefa que você mais odeia? Pois bem, exatamente por isso realize-a agora.  Fazer a tarefa que você não quer, fortalece sua capacidade de transcender o pecado da preguiça, que é “uma tristeza que surge do fato de que o bem é difícil”, de acordo com São Tomás de Aquino (falamos sobre isso aqui). Você sabe que aquilo é bom, mas é difícil, exige um esforço. A preguiça que nos impede de fazer as tarefas que odiamos é a mesma indolência que nos impede de praticar a castidade. Se você puder transcendê-lo nas tarefas, poderá transcendê-lo na sexualidade.
3. Cumpra seu pior compromisso primeiro. 

Como profissionais ou estudantes, cada um de nós tem responsabilidades a cumprir. Entre eles estão as responsabilidades que preferimos evitar. Comece o seu dia fazendo o que você tem que fazer mas não quer, isso fortalece sua capacidade de fazer a coisa certa, apesar do desconforto. Depois você sentirá a força que isso gera.

4. Deixe alguém ter o último pedaço de torta. 

Ou o último biscoito Oreo ou o “último qualquer coisa gostosa”, tanto faz.  O ponto é que, deixar alguém ter o lanche que você realmente quer, fortalece sua capacidade de renunciar ao que você quer para o bem de outra pessoa. Se você pode se sacrificar para o bem do paladar de alguém, você também pode se sacrificar para o bem da mente, do corpo e da alma desse alguém.

5. Faça um compromisso intimidante. 

“Durante todo o ano de 2018, não vou comer sobremesa”, por exemplo. Se for a sua refeição favorita, será um compromisso assustador para se fazer por um ano. Ótimo! Se joga numa determinada, determinação e faça! Prometer fazer o que você acha que não pode e fazê-lo, fortalece sua capacidade de aceitar que você é mais forte, na graça de Deus, do que você pensou que fosse. Escolha uma única coisa e faça!

Fomos criados capazes de viver a castidade, que a cultura agora diz ser impossível, basta que exista o esforço para se fazer um compromisso e a confiança na graça de Deus, que nunca falta àqueles que desejam seguir os passos da pureza que levam até o vislumbre da sua Sagrada Face. Para isso pequenas atitudes heroicas como essas são vitaminas espirituais, ou você acredita que as atitudes heroicas são somente as grandes obras? Pois, lhe digo que não... afinal existem soldados que enfrentam tropas enormes, mas tremem diante de uma seringa. Muitas vezes as pequenas coisas exigem que desprendamos mais força de vontade do que as grandes.

Pense nisso e não deixe de se exercitar nessa virtude, que é adquirida por um esforço de amor, seja você solteira ou casada, a castidade é uma virtude para os amantes do Amor.

Inspirado no texto: 5 Ways to Get Better at Practicing Chastity escrito por Arleen Spenceley (escritora do livro Chastity is For Lovers: Single, Happy, and (Still) a Virgin) para o Chastity Project. 

Por: 
Ana Paula Barros do Salus in Caritate.

Você Também Pode Gostar

0 comentários

Curta-nos no Facebook

Google +