Para Todas as Bellas do Mundo

terça-feira, abril 28, 2015


O título desse post pode ter soado um pouco estranho, talvez, alguém tenha se perguntado: quem é Bella? E o por que desse texto ser dedicado a todas as Bellas que existem mundo?

Há alguns dias atrás, me encantei com história do filme Little Boy (ainda sem data de lançamento para o Brasil), que narra a incrível história de um rapazinho de sete anos que tem uma fé que move montanhas, ansiando pela estreia do filme, descobri "Bella". 


Bella é outro filme do diretor mexicano Alejandro Monteverde (lançado em 2006). Essa película nos traz a singela figura de "Bella", uma criança que talvez não venha a esse mundo. É simplesmente um filme que dialogá com a vidas de seus personagens em função de uma vida que está sendo gerada no útero de sua mãe, tendo essa mulher total disposição a fazer um aborto.


Então lhe faço uma pergunta:

Qual seria sua reação se uma moça lhe dissesse que está grávida e que iria abortar? 

Talvez você tentaria aconselha, conversar, mas o José (Eduardo Verástegui), amigo de trabalho da Nina (Tammy Blanchard), à moça que está grávida, simplesmente, abandona tudo para acompanhá-la em uma jornada de autoconhecimento. É nesse momento em que o filme nos mostra a importância e o grande significado da vida, fala e valoriza a família, trata de temas verdadeiramente importantes em nossa sociedade. Temas que dificilmente são tocados nos filme de hoje.

Um sugestão, assistam o programa de rádio do blog Modéstia e Pudor , sobre o borto e os efeitos psicológicos sobre a mulher: entrevista com Mariângela Consoli, da Associação Guadalupe, que durante o programa da dicas de como reagir nessa situação citada acima. 
  
O produtor de "Bella" e protagonista, afirmou que recebeu muitos e-mails e cartas de jovens mulheres que desistiram de fazer abortos já agendados após assistirem ao filme. "Mesmo que 'Bella' não venda mais nenhum ingresso, me regozijo no Senhor pela vida desses bebês… que estão vivos por causa do filme", declarou Verastegui, emocionado. "Esse é o meu Oscar".

“Desde a legalização do aborto, tem-se realizado uma obra diabólica: a destruição do senso de sacralidade da maternidade nessas trágicas mulheres que vêm permitindo o assassinato de seus bebês. O aborto não mata apena bebês inocentes; ele também mata espiritualmente as mulheres que praticam. Aqueles que dedicam seu caridoso cuidado às mulheres vítimas de nossa sociedade decadente sabem que as feridas que só a graça de Deus é capaz de curá-las.”
(O privilégio de ser mulher - Alice Von Hildebrand)

Minha proposta e desafio para todos é que tente assistir e exibir o filme nas suas paróquias, nas escolas e demais lugares que estejam no seu meio social. O filme "Bella" trata de um presente que o cinema deu à cultura da vida e à valorização da dignidade do ser humano. Temos que lutar para que ele seja assistido pelo maior número de pessoas possíveis.

Termino com uma frase que é dita logo no começo do filme, "se quiser fazer Deus dar risada, conte seus planos para Ele".

Fiquem com Deus e Nossa Senhora. Um Brinde à Vida!


Por:

Você Também Pode Gostar

0 comentários

Curta-nos no Facebook

Google +